Ocorreu um erro neste dispositivo

Brandus dream list

Mensagens populares

quarta-feira, 15 de outubro de 2003

Hoje vou reflectir sobre o uso do inho na linguagem portuguesa.Já estão a pensar que me esqueci de algumas letras?Não.Impressão vossa.
O inho faz parte integrante da cultura portuguesa,e na minha opinião,modesta,acho que de forma exagerada.Quem de nós não utilizou já de forma abundante esta terminação(já estão a perceber?!) nas palavras mais comuns que usamos todos os dias?
Muitas vezes nem nos damos conta que introduzimos essa terminação,porque já se tornou tão vulgar,que o seu uso é-nos indiferente.
Por exemplo,quando vamos beber a nossa bica,porque razão pedimos:Dê-me um cafézinho?!E já agora,queria também um bagacinho.
Não conseguem perceber que ao usar esta terminação na linguagem portuguesa estão a diminuir a nossa cultura,a nossa força?!Contra mim falo,pois por diversas vezes uso essa terminação do demo!!!!!!!
O inho faz com que as coisas normais se transformem em miniaturas,em insignificâncias.Pode ser bom quando queremos diminuir algo que à partida teria muita importância,mas que nós não desejamos que tenha essa importância enorme.
-Olha,não queres ir para a caminha comigo?Vamos fazer umas brincadeirinhas inocentinhas!E depois vais ter a entradinha garantida na universidadezinha...
Cunhas...ou cunhinhas...Adiante...
Podemos também falar no bébezinho que está farto de chorar porque lhe tiraram a maminha...E ele tinha muita fominha!Coitadinho!
Ou quando vamos almoçar podemos pedir um franguinho assado com umas batatinhas fritas ou um arrozinho.Para beber queremos uma água fresquinha e para sobremesa aquele melãozinho que deve estar tão docinho.
Ainda mais grave é quando vamos falar com o nosso patrão a pedir um aumento.
-Ó chefinho,desculpe lá mas eu precisava de lhe dar uma palavrinha.
-Concerteza,mas tem mesmo de ser uma palavrinha...
Pronto,já não podemos continuar a conversa...O aumentozinho já era...
O caso mais grave pode acontecer quando surge aquele encontro amoroso pelo qual ansiávamos.Aquela miúda é um espanto!Tem de haver acção!
-Ó queridinha,és o meu amorzinho!Esperei tanto tempo por este momentinho...Que lindos olhinhos que tu tens...E esse cabelinho é maravilhoso...Vai tirando essas roupinhas...Ai,que bonitas maminhas...Posso tocar?...Que belas perninhas,bem feitinhas...Ah,o teu paizinho e a tua mãezinha fizeram-te muito bem...Tira tudo...O teu amorzinho está a ficar excitadinho...Vou-me despir também...Devagarinho...Devagarinho...Mais depressinha...Já tou todo nuinho...Vem,amorzinho,vamos concretizar o nosso romancezinho!
-Olha lá,achas que esse PAUZINHO vai concretizar alguma coisa?!
Pois é,o inho é a desgraça da nossa sociedade...
Adeusinho!

sexta-feira, 3 de outubro de 2003

Aproxima-se mais um fim de semana.Tempo de descanso,tempo de relaxar,tempo de desfrutar de outras actividades.Há muitas pessoas que trabalham ao fim de semana,e também de noite,muitas delas que são inclusivamente necessárias para que alguns de nós possamos concretizar os nossos tempos livres.Mas o ideal seria que ninguém trabalhasse nos fins de semana.Claro que nos tempos que correm,isto é uma utopia,pois dessa maneira muitas coisas não funcionariam aos fins de semana,coisas essenciais,como por exemplo os hospitais ou a polícia.
O que é de facto importante é que todas as pessoas tivessem direito ao descanso.Isso,infelizmente,nem sempre acontece.E é precisamente essa situação que não me agrada.Uma coisa é a necessidade de algumas pessoas trabalharem quando a maioria está a descansar,outra coisa são os exageros que por vezes sucedem nos locais de trabalho e que impossibilitam o direito ao descanso,inclusivamente chegando-se ao cúmulo de existirem abusos por parte da entidade patronal no número de horas que exigem aos seus empregados.Isto provoca um natural descontentamento e uma óbvia desmotivação,mesmo que as pessoas até recebam uma boa compensação por esse trabalho extra,o que,diga-se em abono da verdade,raras vezes acontece.
Na sociedade moderna,encara-se o trabalho como a coisa mais importante na vida,quando deveria ser só encarado como o meio de sustento.Podem pensar que o meio de sustento é o mais importante na vida,mas pensem um pouco.Será que essa ideia não vem associada à  ideia de que é preciso trabalhar muito,sem escrúpulos,passando por cima dos outros e fazendo de tudo o que é legal e ilegal para conseguir boas posições ou boas remunerações?!Será que as duas ideias não estarão interligadas,associadas uma à  outra,funcionando como bola de neve no mercado de trabalho,influenciando cada vez mais pessoas?!Será que essas ideias não formam um círculo perfeito,um ciclo constante,em que não à maneira de fugir a uma das possibilidades sem que a outra se concretize?!
Será mesmo necessário lutarmos pelos extras da vida,quando nos poderiamos satisfazer com o essencial,aquilo que nos permite viver?Porque será que vemos tanta ganância no mundo?Será?!...
Vemos pessoas que lutam,e quando digo lutam,refiro-me ao sentido amplo da palavra,que batalham,que pisam,que agem como se fossem sobreviventes únicos dentro de uma empresa e que a sua vida dependesse só duma remuneração choruda.Porquê?!Talvez porque o vizinho tem uma televisão maior,o primo tem uma casa mais bonita,o patrão tem um carro melhor ou aquele artista famoso tem um iate maravilhoso...Por isso,vamos fazer tudo para conseguir igualar essas pessoas ou até mesmo suplantá-las...
É triste pensar que há pessoas assim,mas infelizmente é a realidade que temos,que observamos.Eu não quero pensar desta maneira.Procuro trabalhar,sim,para o meu sustento,mas sem ser orgulhoso ou sem me julgar superior aos outros.A humildade também nos faz ganhar,e eu acredito nisso,pois tenho experiências boas quando a humildade funciona.
Entretanto,o ideal seria que todos pudessem ter direito ao seu descanso.Mais importante,que todos pudessem ter direito ao seu trabalho.Ainda mais importante,que todos pudessem ter direito à  remuneração devida.Mas essencial mesmo era que todos vivessem em harmonia dentro dos seus empregos,colaborassem todos nos seus trabalhos,esquecendo a ganância e a procura de poder.Isso é que seria o ideal...

OBRIGADO RUI COSTA!

AMOR MEU, DOR MINHA

DOR MINHA QUE BATES NO CORAÇÃO,
OLHOS TEUS QUE CRUZAM COM A PAIXÃO;

PARA ONDE FORES CONTIGO IREI,
ONDE ESTIVERES AÍ FICAREI;

NA ROTA DO AMOR BUSCAMOS SINTONIA,
SENDO O MAIS IMPORTANTE A COMPANHIA;

FELIZ AQUELE QUE TE AMA,
E QUE PODE ALIMENTAR A CHAMA;

FICAREI. FELIZ. SINTO O TEU ABRAÇO FORTE,
SINTO QUE O AMOR NÃO ALIMENTA A MORTE;

POR TUDO ISTO UM ADEUS NÃO PERMITO,
NO NOSSO CORAÇÃO O AMOR NÃO É MALDITO.