National Geographic POD

Brandus dream list

Mensagens populares

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sogras sofrem...


domingo, 27 de maio de 2012

Palavra da semana ( 24 )


gazebo |ê|
(inglês gazebo)
s. m.
Construção com tecto, mas sem paredes, destinada a fornecer sombra ou abrigo em parques e jardins.

sábado, 26 de maio de 2012

O saber não ocupa lugar ( 346 )




O Avahi cleesei, uma espécie de lémure da família Indridae recentemente descoberta, foi nomeada em homenagem a John Cleese devido ao carinho do actor britânico por esses animais.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Não se esqueça de seus pés





QUANDO se está acostumado a andar sempre de carro, andar a pé pode ser um prazer recém-descoberto. As rodas talvez o levem mais rápido, mas, quanto ao simples prazer de viajar, o que pode ser melhor do que os pés? — quando em boa condição. Apenas a pé se pode apreciar plenamente a terra. A beleza das colinas majestosas, a fragrância da floresta deleitosa e o canto dos pássaros são mais apreciados quando anda.
No entanto, seus pés fazem mais do que o tornar automóvel. Respondem automaticamente a seus sentidos, e a suas emoções íntimas. Batem no chão com ira, pulam de alegria e andam de um lado para outro na ansiedade.
Aqueles que são mais idosos, e conseguem sair e andar, fornecem aos corações, pulmões e músculos o exercício de que precisam, resultando em crescente circulação de sangue, melhor apetite e a habilidade de dormir bem.
Que alegria pode sentir quando corre, dança, patina ou até mesmo dá umas voltas casuais! Por certo, seus pés foram feitos para cooperar com todos os seus outros membros para o bem-estar de seu corpo inteiro. Não deveriam ser tratados como algo de grande valor?

Feitos Maravilhosamente

Seu cálculo do valor deles aumentará quando olhar para seus pés do ponto de vista dum ortopedista ou até mesmo dum engenheiro. Embora de estrutura simples, são poderosos. Provavelmente andarão por volta de 120.000 quilómetros numa vida média de setenta a oitenta anos. A fim de absorver todo o choque associado a isto, cada pé consiste em um arranjo intrincado de 26 ossos e 214 ligamentos.
Acham-se belamente ajustados para formar um arco do calcanhar à base do pé. Ao andar, o calcanhar é a primeira parte a sentir seu peso. Daí, o peso é distribuído pelos ossos társicos ou do tornozelo, os cinco longos ossos metatarsais ou do peito do pé, e os quatorze ossos dos artelhos, que dão o impulso para a frente.

Cuidar dos Pés e Sapatos Apropriados

Como outras partes importantes do seu corpo, seus pés precisam do devido cuidado. Um pouco de atenção paga juros em melhor saúde e felicidade; pois, como se tem dito amiúde, “quando os pés doem, sente-se a dor pelo corpo todo”. E isto pode ser verdade. Seus pés podem provocar-lhe nervosismo e irritabilidade. Pode dar-lhe dores de cabeça, dor nos músculos da perna e das costas, provocar náusea, estragar seu apetite e em geral transtornar seu corpo todo. Estas são certamente boas razões para se cuidar bem deles.
Provavelmente, sua primeira preocupação em cuidar dos pés é a escolha de seus sapatos. O Dr. Simon Wikler, em seu livro Take Off Your Shoes and Walk (Tire os Sapatos e Ande), afirma: “Não há mais dúvida agora em minha mente de que a principal causa de problemas com os pés é o tipo de sapatos que calçamos.”
Ao escolher sapatos, eis aqui algumas coisas a ter presente: Solados e partes laterais todas de couro dão à transpiração melhor chance de evaporar. (Se a perspiração é um problema no tempo quente, as sandálias são de ajuda.) Saltos de borracha são recomendados para os sapatos, uma vez que reduzem o choque. É melhor experimentar sapatos no fim da tarde, porque os pés tendem a inchar ao progredir o dia. Meça ambos os pés, pois um é amiúde mais comprido do que o outro, e então experimente o sapato no pé mais comprido. Dê margem a pelo menos cerca de um centímetro, de modo que seus pés possam movimentar-se livremente. É insensato tentar “amaciar” sapatos desconfortáveis.
A moda não mostra nenhum respeito pelo conforto, ou a saúde dos pés, e isto se dá em especial nos calçados para mulher. Saltos altos, bicos estreitos e pontudos são contrários à estrutura dos pés, e são factores importantes para se fazer com que as mulheres tenham quatro vezes mais problemas com os pés do que os homens.
Para o bem das crianças, é sábio não tentar economizar por comprar sapatos que durem muito. Talvez precisem de sapatos novos até de cada quatro em quatro ou de oito em oito semanas, quando têm de dois a seis anos de idade.
Nas criancinhas, meias apertadas podem provocar deformações, portanto, vale a pena observar os “esgarçamentos”. Com as bem pequenas, deve-se também ter cuidado que não se apertem lençóis do berço ao redor dos seus ossos macios dos pezinhos.

Desordens Comuns e Sugestões

Caso esqueça os pés, podem fazê-lo lembrar-se deles de muitas formas. Calos, unhas encravadas, arcos caídos, joanetes, circulação deficiente e pé-de-atleta são alguns dos lembretes mais comuns.
Os calos são causados por focos de pressão sobre seus pés. Uma grossa camada de tecido se forma. Esta, por sua vez, comprime a camada mais profunda da pele, fazendo com que se torne tenra. Os calos usualmente aparecem nas juntas dos artelhos de pessoas cujos sapatos não se ajustam bem. Quando ocorre uma inflamação e forma-se pus sob o calo, talvez se veja tentado a curar-se. É melhor deixar qualquer cirurgia por conta de um médico competente. O uso insensato de lâminas de barbear e de medicamentos para os pés pode complicar uma doença simples. Um emplastro de molesquim pode diminuir a dor, mas sapatos que calcem bem são necessários para uma solução mais permanente.
Uma unha encravada pode resultar de sapatos que calcem mal. Pode também ser provocada por meias que se ajustem mal, exercendo pressão sobre unhas incorrectamente cortadas. O tratamento exigirá a limpeza dos cantos e o uso de algodão impregnado de substância medicinal sob a unha. Casos graves talvez exijam a remoção da unha. Para prevenção, evite os sapatos que apertem os artelhos; também, corte rectas as unhas e não curtas demais.
Um joanete é uma inchação dura e dolorida do pé, em especial da primeira junta do dedão do pé. Aqui o tecido se torna vermelho e grosso. Visto que o joanete pode incapacitar a pessoa, é bom evitar sapatos que calcem muito apertados. Podem-se obter aparelhos especialmente feitos que ajudem a aliviar o problema, ou talvez seja necessária cirurgia para endireitar o artelho. Vale a pena escolher com cuidado seus sapatos.
Arcos caídos, como os joanetes, têm as fraquezas herdadas como factor contribuinte. No entanto, podemos estar alertas a estas coisas que provocam seu achatamento: longas horas de pé ou andando sobre superfícies duras, que não cedem. Para as pessoas que não podem evitar isto, solas grossas, macias ou do tipo de palhetas são recomendadas. Também, sapatos especiais e suportes talvez forneçam certo alívio.
Na planta do pé talvez se criem calosidades; se surgirem, poderá obter calços, palmilhas e dispositivos para aliviar o excesso de pressão nesta área. No ínterim, continue procurando sapatos que realmente se ajustem, que dêem margem ao movimento dos ossos de seus pés e à expansão e inchação.
Nos apertados limites de seus pés, o calor e a humidade muitas vezes aumentam, e, sob tais condições, um fungo comummente inócuo pode tornar-se activo numa rachadura ou fenda da pele. O pé-de-atleta ou tinha do pé fará lembrar que deve dar mais atenção aos pés. Se contrair os sinais de pé-de-atleta, lave os pés duas vezes ao dia com sabonete neutro, secando-os bem entre os dedos, daí, aplique um remédio contra fungos. Comece o tratamento assim que surgir uma ardência, porque pode espalhar-se, uma vez consiga um ponto de apoio no artelho. Caso ocorra uma infecção extensiva, é usualmente sábio consultar um médico para obter tratamento mais específico.
Tais aflições e muitas outras são o preço que o homem paga por negligenciar os pés. Paga em tempo, dinheiro, conforto e conveniência. No entanto, por prestar diariamente um pouco de atenção, receberá imediatamente a retribuição e poderá esperar maiores retribuições no futuro.
Algo que o ajudará a descontrair-se em todo o corpo é a massagem dos pés. Os pés são massageados num movimento de rotação dos dedos, usando-se creme frio ou azeite de oliva para reduzir a fricção. Se for muito sensível e tenso, os primeiros segundos de massagens serão bem sensíveis; porém, permita que o massagista exerça mais pressão, ao exercer o domínio de si, e logo o descontraimento virá.

in Despertai de 22/9/1972 pp. 22-24

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Provérbio da semana ( 21:6 )


A obtenção de tesouros por meio duma língua falsa é uma exalação impelida [para longe] no caso dos que procuram a morte.

terça-feira, 15 de maio de 2012

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Palavra da semana ( 23 )


férula


(latim ferula, -ae)
s. f.
1. Instrumento com que se castiga batendo na palma da mão. = PALMATÓRIA
2. [Figurado]  Autoridade ríspida; direcção ou governo rigoroso.
3. [Botânica]  Planta umbelífera. = CANAFRECHA
4. [Zoologia]  Género de moluscos.

domingo, 13 de maio de 2012

O saber não ocupa lugar ( 345 )







Wayne McLaren, um modelo americano que interpretou o Marlboro Man numa famosa campanha de propaganda de cigarros, morreu de cancro do pulmão.



quarta-feira, 9 de maio de 2012

Chupim — bandido brilhante do mundo das aves





QUANDO os moradores da Grã-Bretanha se abaixam para apanhar o leite de manhã, talvez verifiquem que foram assaltados. Sim, o creme foi pilhado das garrafas de leite! O chupim, esse bandido brilhante do mundo das aves, atacou de novo.
Intrépido e ágil, o chupim sabe o que quer e se inclinará precariamente numa garrafa de leite para beber uns dois a cinco centímetros do creme. Mas, como é que este bandido de penas chega até o leite? As tampinhas da garrafa de leite não constituem grande problema. Quando discos grossos de cartolina encerada eram usados para selar as garrafas de leite, pareciam estar seguras e (segundo se pensava) à prova do bico. Mas, o chupim os descascava pacientemente, camada após camada.
Daí, veio a tampinha de lâmina de metal. Mas, ela também falhou em impedir a acção do bico do chupim, de alto poder e que nem cinzel. As pedras colocadas em cima são retiradas descaradamente pelas bochechas. Cobrir as garrafas de leite com pano também deixou de protegê-las.
Mas, se a dona de casa tem problemas ocasionais, o leiteiro também os tem. Há relatos de que bandos de chupins seguem as carrinhas de leite pelas ruas, assim como as gaivotas seguem o arado, e abrem as tampinhas de garrafas enquanto o leiteiro se ocupa com suas entregas.
Agora parece que o chupim exerce sua má influência sobre os companheiros de plumas. Um leiteiro ao fazer entregas relatou que em diversas ocasiões os tordos, com seus bicos compridos, o seguiram e beberam leite das garrafas convenientemente abertas para eles pelos muito menores chupins azuis. O chupim lidera e os outros o seguem. É um fato que onze outras espécies de aves são conhecidas como tendo tomado o mesmo ‘carro de leite’, por assim dizer.
E o que vem em seguida? Ora, um correspondente do The Times assegurou o seguinte: “Uma raposa descoberta por uma vizinha, quando ela foi buscar o leite de manhã, estava sentada sobre seus quadris no matagal de amoras silvestres, observando atentamente os chupins azuis rompendo a tampinha de uma das garrafas e, sem dúvida, se não fosse perturbada, teria esperado até que terminassem o serviço, e então tomaria um gole.”
Mas, o chupim não anseia apenas o creme. Certo ingrediente da massa de vidraceiro é também do agrado do chupim. O acabamento de certo bangaló foi certa vez suspenso quando um matagal próximo soltou sua grande população de chupins azuis; a farra de comer massa que se seguiu causou que todo painel de vidro caísse.

Espiada no “Bandido” e Seu Comportamento

Que aparência tem este bandido de penas? O chupim azul é uma das aves mais bonitas dentre as menores que se encontra na Grã-Bretanha. Muitas pessoas, vendo pela primeira vez uma ave preparada para “atacar a garrafa”, confunde o chupim mais comum de Londres com uma ave estrangeira que talvez tenha fugido de algum aviário. Pois, ao voar, seu cocoruto e suas asas dum azul-cobalto, bochechas brancas e partes inferiores amarelas formam fascinantes raias de cores que não podem deixar de cativar os olhos.
Talvez o chupim se tenha tornado destro especialista na arte de abrir garrafas, devido à sua habilidade de aprender truques. Diz o livro Birds of the World (Aves do Mundo): “Os chupins são as mais adaptáveis e susceptíveis de ensino das aves bem pequenas . . . os truques que se pode ensinar aos chupins domesticados são surpreendentes.” Por exemplo, o livro declara que, no Japão, o chupim variado é usado pelos que predizem a sorte. Ao receber ordem, a ave pula para seu poleiro, tira uma moeda de entre os dedos, deixa-a cair numa caixa, abre a porta dum relicário em miniatura, e puxa um pedaço de papel, até mesmo desenrolando-o.
Assim, os chupins azuis parecem ser capazes de aprender pelos métodos de errar até acertar. Escreve o biólogo das aves, J. C. Welty, da Faculdade Beloit, Wisconsin, EUA: “Tal pilhagem de leite, de garrafas feitas pelo homem, dificilmente pode ser um comportamento inato.” E, como escreve o ornitólogo Kenneth Graham: “Se inteligência é definida como a habilidade de ver as ligações e tirar proveito da experiência passada, então, é preciso admitir que os chupins possuem este atributo em medida maior do que se pensou antes ser possível nos estudos do comportamento das aves.”
Visto que o habitat natural dos chupins azuis é a floresta, sua incursão bem para dentro do coração de grande metrópole é ainda mais notável. Sua perícia inata os habilita a existir e a multiplicar-se nas áreas lúgubres e comparativamente desprovidas de árvores numa cidade palpitante.
E sua escolha de locais para aninhar numa grande cidade também demonstra habilidade de tentar quase que tudo. Pois seus lugares de aninhar são tipicamente imprevisíveis: o estepe dum carro, caixas de correio, calhas de chuva, luminárias de rua, canos velhos, e até mesmo os bolsos dum casaco dum espantalho colocado numa fileira de ervilhas especialmente para assustar — imagina quem? — os chupins azuis!

Ave Desejada Apesar do Banditismo

Como é que o público em geral vê esta ave tão talentosa, Apesar de lhe pilhar o creme, não há nada que se assemelhe a um clamor público, não há grandes sentimentos de revolta. Pelo contrário, algo semelhante à admiração sublinha os relatos pessoais do banditismo das aves.
Assim, embora estas avezinhas às vezes causem barulho por si mesmas, os amantes das aves ainda acenam com petiscos num jardim a fim de serem visitados por este pequeno almofadinha do mundo das penas. Os petiscos apreciados pelos chupins incluem queijo, pele de bacon, amendoins enfiados num fio, sementes e meio coco. Com efeito, o chupim é realmente uma das aves favoritas dos jardins britânicos. É grandemente apreciado por seus atraentes trejeitos, tais como o de se pendurar de cabeça para baixo para atingir um meio coco suspenso.
Outra razão pela qual o chupim é uma ave desejada, apesar de seu banditismo, é que serve o homem proveitosamente por consumir grande quantidade de insectos. Um casal de aves foi observado fazendo oitenta visitas por hora ao seu ninho. Concedendo-se os necessários períodos de descanso, o Sr. e a Sra. Chupim estavam buscando 1.500 refeições por dia, ou 10.000 ou mais por semana, consistindo em gorgulhos da flor de maçã, e larvas de tentredrém. Os chupins azuis então são uma força operária gratuita para livrar as árvores frutíferas de pragas. Infelizmente, a impensada remoção de árvores e o uso indiscriminado de pesticidas compele os chupins azuis a procurar suas refeições em outras partes.
Por causa de seu banditismo, alguns chamaram de “loucos” os chupins azuis. Mas, um leitor escreveu o seguinte a um editor de jornal, em defesa dos bandidos avícolas: “Com o crescimento das áreas urbanas e a redução das áreas férteis — amiúde quimicamente tratadas — seria simples demais sugerir que somos nós aqueles cujo comportamento louco atingiu os chupins?”

Solucionando o Problema, Apreciando a Ave

Mas, o que fazer quanto aos hábitos do chupim azul de surripiar o leite? Pegar o leite antes do chupim é uma solução para o problema. A dificuldade é que o ataque aéreo ocorre com surpreendente velocidade. Segundos após a entrega, os bandidos plumíferos mergulham, como fizeram numa consignação de leite a uma escola em Merstham, Surrey, em que mais de 50 de 300 garrafas de leite foram abertas antes de o zelador da escola poder apanhá-las.
Lembre-se sabiamente que para uma ave o alimento se acha onde puder encontrá-lo. Assim, em bondosa cooperação com seu leiteiro, esconda o leite numa caixa forte, com tampa pesada.
O chupim azul não é senão um de uma quase infindável variedade de maravilhas vivas, o trabalho de um Criador todo-sábio. De um amante de aves vem este excelente tributo ao chupim e a seu Criador: “Contemplar estas criaturinhas espertas, activas e felizes, tão belas em forma, linha e cor, tão perfeitas em seus movimentos, tão cheias de propósito, tão seguras em todos os seus caminhos, torna a pessoa bem humilde. O que é a obra do homem em comparação com elas?”

in Despertai de 22/9/1972 pp. 20-22

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Provérbio da semana ( 21:5 )


Os planos do diligente seguramente resultam em vantagem, mas todo precipitado seguramente [se encaminha] para a carência.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Notícia de última hora!


Com o pedido de divulgação urgente, foi recebida a seguinte mensagem emitida pelo Gabinete do Primeiro-Ministro:
"O Governo faz saber que, como medida de contenção de despesas e tendo em consideração a actual situação das contas públicas, a luz ao fundo do túnel será desligada até nova ordem."

OBRIGADO RUI COSTA!

AMOR MEU, DOR MINHA

DOR MINHA QUE BATES NO CORAÇÃO,
OLHOS TEUS QUE CRUZAM COM A PAIXÃO;

PARA ONDE FORES CONTIGO IREI,
ONDE ESTIVERES AÍ FICAREI;

NA ROTA DO AMOR BUSCAMOS SINTONIA,
SENDO O MAIS IMPORTANTE A COMPANHIA;

FELIZ AQUELE QUE TE AMA,
E QUE PODE ALIMENTAR A CHAMA;

FICAREI. FELIZ. SINTO O TEU ABRAÇO FORTE,
SINTO QUE O AMOR NÃO ALIMENTA A MORTE;

POR TUDO ISTO UM ADEUS NÃO PERMITO,
NO NOSSO CORAÇÃO O AMOR NÃO É MALDITO.