Ocorreu um erro neste dispositivo

Brandus dream list

Mensagens populares

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Madeira


Depois do desastre que se verificou no Haiti, mais uma catástrofe natural deixa de rastos uma ilha bem perto de nós, a Madeira, conhecida como Pérola do Atlântico. Sem contudo a amplitude que verificamos no Haiti, e evidentemente com uma postura mais tranquila e organizada por parte dos madeirenses e das autoridades.

É contudo mais um trauma para muitas pessoas, ou pelas imagens aterradoras que ficam gravadas nas suas mentes, ou por perderem muitos ou todos os seus bens, ou, ainda pior, por perderem entes queridos e amigos.

É com sentimento de impotência que vemos a força da natureza, contra a qual pouco se pode fazer, mas quero mesmo assim realçar a forma muitas vezes descontrolada e imprudente como se constrói casas ou até mesmo se edificam localidades em zonas em que a água ou a terra irá obrigatoriamente reclamar o seu espaço quando acontecem estas chuvadas diluvianas. Este é mais um caso evidente em que isso sucedeu, e as autoridades continuam a permitir estas construções, muitas vezes movidos pelo facilitismo e pelo lucro fácil. Espero que esta situação sirva de alerta para que se tenha mais cuidado com os sítios onde se constrói.

Agora é tempo de reconstruir, e neste aspecto temos visto uma boa organização e também muita dedicação e rapidez por parte dos madeirenses, que não se coíbem de trabalhar e ajudar quem precisa. Espero que possam contar com o labor de todos os portugueses, para que em breve a bela ilha da Madeira possa brilhar de novo no Atlântico.

Não podia terminar sem antes referir um pormenor que, apesar dos elogios já feitos, nos faz recordar que estamos em Portugal, pelo que teria de surgir um apontamento negativo. Português ou madeirense que se preze tem sempre um contra em qualquer situação...
Refiro-me à aparente ( quando digo aparente quero dizer evidente ) confusão que existe em relação ao número de mortes oficiais. Isto porque vão aparecendo cadáveres e o número de mortos continua o mesmo...
Já para não falar da preocupação prioritária do líder do governo madeirense, avesso a alarmismos e mais preocupado com o turismo e a festa da Flor, que parece querer manter mesmo que não existam condições para isso. O lucro a falar mais alto que a desgraça das pessoas!
Tipicamente português!


Força MADEIRA!!!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Acne — o terror dos adolescentes


É UM adolescente importunado com acne? Não leve isso por demais a sério. Sem dúvida, parece-lhe muitíssimo pior do que parece aos outros. Talvez seja especialmente sensível a isso porque tornou-se muito cônscio de sua aparência, bem provavelmente por causa de seu interesse desabrochante pelo sexo oposto.
De fato, se for rapaz, poder-se-ia até dizer que ter acne é algo pelo qual deveria ser grato. Como assim? — talvez pergunte. No sentido de que, em primeiro lugar, é evidência de que não é eunuco. Os eunucos não são afligidos de acne, pois a acne é provocada pelos hormônios masculinos ou androgênicos. Vê-se uma prova disso quando os eunucos recebem hormônios masculinos, eles ficam com acne. (Os hormônios femininos produzem o efeito contrário. É por isso que alguns médicos administram tais hormônios femininos a moças incomodadas com acne.) E, em segundo lugar, visto que a acne tanto no sexo masculino como no feminino é o resultado de incrementada atividade do que é chamado de “hormônios masculinos”, poder-se-ia dizer que constitui uma indicação de que está progredindo fisicamente, e oxalá também mental e emocionalmente, em direção à maturidade adulta.

Mas, de que maneira atua este hormônio para causar acne?

Sua pele consiste em diversas camadas principais. A camada superior, conhecida como epiderme, pode ser subdividida em várias camadas, podendo-se assemelhar a que fica mais em cima a telhas de madeira de um telhado. Abaixo da epiderme fica a derme, em que se encontram os vasos sangüíneos, os nervos, as glândulas sudoríparas e sebáceas e as raízes dos pelos. As glândulas sudoríparas possuem suas próprias aberturas ou poros que vão da derme até a parte de cima da pele. Os pelos se situam em diminutas aberturas ao longo das quais há de duas a cinco glândulas sebáceas que lubrificam a pele, bem como a mantêm macia e suave e servem para protegê-la.

Na puberdade, o “hormônio masculino”, tanto nos rapazes como nas moças, parece aumentar a produção de óleo dessas glândulas. Também parece que as células da camada superior da pele crescem mais rápido do que se perdem. Em resultado, uns 80 por cento, tanto das moças como dos rapazes, sofrem um ataque de acne, os rapazes mais severamente do que as moças, mas as moças mais cedo do que os rapazes. Um caso grave de acne está invariavelmente associado com uma pele muito oleosa, condição esta que amiúde continua mesmo depois que a acne desaparece. Outra explicação pode ser a de que a aproximação da puberdade exige demais dos rins, com o resultado de que a pele fica sobrecarregada com o problema de remover as impurezas do sangue. É fato conhecido de que o suar tem efeito benéfico nos pacientes que sofrem dos rins.

Fatores Agravantes

Visto que a incrementada atividade hormonal acompanha a puberdade, significa isto que nada se pode fazer quanto à acne? Não necessariamente, muito embora seja bem provável que, em casos graves, a suscetibilidade à acne seja herdada. Depreende-se isso de que os jovens com casos graves de acne amiúde têm pais que também foram afligidos com isso em sua juventude.

Entre as coisas que podem agravar a acne se acham a falta de limpeza da pele, ou o uso de sabões irritantes ou o hábito de espremer cravos e espinhas.

Em vista de que a oleosidade da pele está associada com a acne, a exposição a óleos poderia piorá-la. Assim, se a ocupação da pessoa exigir que esteja perto de óleos ou de produtos oleosos ou mexa com eles, isto poderia piorar a acne. Publicou-se uma reportagem interessante em Archives of Dermatology (Arquivos de Dermatologia) sobre o assunto “acne causada pela brilhantina”. Descobriu-se que isto afligia certos africanos que usavam brilhantinas para assentar o cabelo. É interessante que mostrava que a vaselina comum ou produtos de óleo mineral tinham muito menos probabilidade de causar acne do que os ostentosos produtos de preço elevado e grandemente anunciados.

Também se reconhece em geral que os problemas emocionais podem agravar ou causar a acne. De modo que o Dr. Morris Fishbein, destacado autor e editor médico, observou que “até mesmo o antagonismo entre os que sofrem de acne e seus pais ou associados íntimos” pode causar um caso persistente de acne. E assim não é de surpreender que os principais dermatólogos, tais como o Dr. Gordon Sauer, sustentem que a tensão nervosa, como quando os jovens se preocupam indevidamente com seus exames ou esportes escolares, bem como a falta de suficiente descanso e sono, podem ser responsáveis pela acne.

Há muitos anos, cria-se que o sexo tinha algo que ver com a acne, visto que acompanhava a puberdade, quando os jovens começam a pensar no sexo. Entretanto, embora as autoridades médicas modernas, na grande maioria, frisem fortemente que não há ligação nenhuma entre a masturbação e a acne, ainda assim poderia haver uma relação, indiretamente. Em que sentido? No sentido de que se a prática criar um problema emocional, fazendo com que a pessoa se preocupe com isso, poderia ter influência em a pessoa ter acne. Mas, os jovens podem ser afligidos de acne sem se empenhar nesta prática, e, por outro lado, bem que se poderiam estar entregando a ela e contudo não ter acne.

E finalmente há a questão da dieta. Embora por tantos anos os dermatologistas tendessem a sustentar que a dieta desempenhava um papel decisivo na acne, a classe médica, de modo geral, se descartou do conceito de que a dieta tenha algo que ver com isso.

O Que Se Pode Fazer Quanto a Ela?

Há dois meios de tratamento disponíveis ao afligido com acne, e podem-se utilizar a ambos. Há o remédio tópico. Isto é, o remédio é aplicado localmente, à pele. Concorda-se em geral que, visto que a acne piora no inverno mais do que no verão, a luz do sol tem efeito benéfico sobre a acne. No entanto, já não se concorda de modo tão geral no que toca ao uso dos banhos de luz para se tratar a acne. Se se usarem estes, deve-se exercer cuidado para que não se queime a pele. É melhor começar com períodos bem curtos de exposição aos banhos de luz e então aumentar gradualmente a quantidade.

Os dermatólogos recomendam em geral precauções extras em manter limpa a pele. Os últimos escritores sobre o assunto recomendam que se limpe a pele freqüente e cabalmente com um sabonete que tenha uma boa medida de efeito secante. Este poderia ser um tipo antigo de sabão de lavar roupa ou algum sabonete medicinal moderno. Visto que usualmente não é conveniente que se lave o rosto com muita freqüência cada dia, estes especialistas em pele recomendam loções adstringentes. Diz-se também que nadar ajuda. De fato, segundo tais autoridades modernas como o Dr. Milton Ross, o problema da acne é basicamente questão de “algumas gramas de sabão, medicação e trabalho árduo consciente”. Este talvez, com freqüência, embora nem sempre, seja o caso.

O Tratamento Orgânico

O tratamento orgânico considera a acne mais ou menos um sintoma e procura atingir os fatores contribuintes. Este tratamento reconhece que a tensão tem boa probabilidade de desempenhar papel proeminente na acne. De modo que se pode melhorar a situação se se aprender a não se preocupar indevidamente com os exames escolares, eventos esportivos ou problemas pessoais. Tente em especial cooperar com seus pais, apreciar seus pontos bons e não exagerar em sua mente as faltas deles. Isto muito pode contribuir para aliviar a tensão em casa.

Recomenda-se também o exercício, pois aquilo que melhore a sua saúde geral atuará também contra a acne. Segue-se portanto que deve certificar-se de descansar e dormir o suficiente. Aprenda a exercer domínio próprio por desligar a TV quando for hora de dormir.

Alguns recomendam as vitaminas. Embora, em certos casos, não tenham resultado eficazes, em outros resultaram. E embora se receite em geral a vitamina A para os que sofrem de acne, afirma-se também que as vitaminas B, C e D sejam de ajuda.

E o que dizer da dieta? Visto que a tendência moderna é desconsiderar quase que por completo a dieta ao se tratar do problema, o que deve fazer o adolescente com sério problema de acne?

Não seja como a jovem senhora que escreveu a proeminente autoridade médica, queixando-se de persistente acne apesar dos médicos e medicamentos e que disse que continuava a comer doces e massas porque os médicos disseram que a dieta nada tinha a ver com a acne. Antes, seja sábio e prove as coisas. Descubra por si mesmo. Uma dieta bem equilibrada é essencial para a saúde de todos. O Professor de Dermatologia, o Dr. Sauer, recomenda: NÃO COMA chocolate, pasta de amendoim, sorvete e coisas semelhantes. Evite excessos de doces e frituras, especialmente batatinha frita e comidas condimentadas. Modere-se nas ostras e nos alimentos marinhos semelhantes. Tente passar sem remédios para os nervos e para dor de cabeça. Se tal abstenção trouxer alívio, não vale a pena? Por outro lado, certifique-se de comer bastante frutas e vegetais.

Que tal seguir tais sugestões por duas ou três semanas e, se não notar nenhuma melhora, talvez seja porque seu remédio se acha numa direção diferente. Talvez precise de mais vitaminas, exercício, mais descanso e sono para livrar-se das tensões. Ou talvez queira consultar um dermatólogo quanto ao tratamento médico.

Mas, depois de se dizer e fazer tudo isso, é bom lembrarem-se de alguns princípios básicos, vocês, adolescentes, que têm o problema de acne. Concentrem-se em cultivar uma boa e alegre disposição e as excelentes qualidades que farão com que as pessoas apreciem a sua companhia. Façam sempre questão de manter-se asseados e limpos. Não fiquem impacientes com o problema, pois mui provavelmente verificarão que é apenas uma aflição temporária. Lembrem-se que pode até mesmo ser uma bênção disfarçada se os tornar menos fúteis e mais condolentes com o sofrimento que outras pessoas têm de suportar. Visto que tantas pessoas tiveram o mesmo problema em sua juventude, a maioria delas compreenderá.

in Despertai de 8/7/1971 pp. 12-14

Provérbio da semana ( 17:4 )

O malfeitor presta atenção ao lábio prejudicial. O falsificador dá ouvidos à língua que causa adversidades.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Surpreendentes médicos animais


MÉDICOS animais? Ora, isso talvez pareça algo tirado dum livrinho de estórias para crianças. Todavia, é uma realidade que muitos animais são muito bons quando se trata de sarar suas feridas. E fazem isto de modos que, com frequência, resultam ser mais eficazes do que os usados pelo homem. Sim, os animais foram dotados pelo Criador com a habilidade instintiva de se tratarem quando padecem de certas aflições.
Archibald Rutledge, escritor naturalista, lembra-se de que, quando era um menino da roça, costumava ter muitos animais selvagens como animaizinhos de estimação, um deles sendo um veadinho de cauda branca. Certo dia, descobriu que seu animal de estimação tinha-se cortado horrivelmente em um dos lados em uma cerca de arame farpado. Para curar a ferida, limpou-a e envolveu-a cuidadosamente com ataduras.
No entanto, o veado parecia saber melhor o que fazer a respeito disso do que seu amigo humano. O veadinho arrancou as ataduras, lambeu cuidadosamente a ferida para afastar da área machucada todos os pêlos e daí expôs a mesma plenamente ao ar puro e à luz solar. O que sucedeu? Não demorou até que a ferida sarasse.
Como foi que este veadinho conseguiu obter tais resultados bons? Descobriu-se que os animais possuem na língua um antisséptico de primeira classe. As enzimas de sua saliva agem como germicida natural, brando. As experiências demonstram que, ao ser adicionada às culturas de bactérias, as bactérias não proliferaram. Mas, os gérmens floresceram em culturas que não foram tratadas com a saliva. Assim, bem na boca de muitos animais, parece haver um inato armário de medicamentos.


Seus Métodos Médicos e Remédios


Quando algum dano ou doença ameaça a saúde dum animal, é seu instinto dado por Deus, que diagnostica o problema e dita o que deve ser feito. Isto o habilita a dar a receita correta e a aplicar o melhor remédio para curar o que talvez lhe faça mal. Como Frank W. Lane comenta em seu livro Nature Parade: “Os animais agem como se soubessem que diferentes doenças exigem diferentes tratamentos.”
Por exemplo, se um animal se ferir, procurará a solidão, onde poderá obter completo repouso. Se estiver com febre, procura um lugar arejado, sombreado, próximo da água. Ali permanece quieto, comendo muito pouco e bebendo bastante água. Se o animal estiver reumático, expõe-se à luz solar de modo a que o calor penetre nele para aliviar a sua dor. Às vezes comem grama para provocar o vômito. Quando um adstringente é necessário, certos animais comem a casca e os raminhos dos carvalhos, que contêm ácido tânico, remédio adstringente.
A eficácia da medicina animal foi demonstrada a Joseph Delmont, colecionador de animais selvagens, de forma um tanto pitoresca. Certo dia, descobriu que seu orangotango de estimação estava tomando sol e mantendo ambas as patas dianteiras junto da bochecha esquerda. Notou que o orangotango havia lambuzado o lado esquerdo da cara com barro molhado e que estava segurando outra grande massa de barro contra seu maxilar esquerdo inferior. Também viu que o orangotango enchera a boca de barro. Será que isso era alguma mania de orangotango! Não, pois Delmont logo notou que o maxilar de seu bicho de estimação estava inchado e que apresentava grave abcesso da gengiva.
Tornou-se bem óbvio de que o orangotango tentava fazer. Estava tratando sua doença por aplicar uma compressa fria de barro. Será que conseguiu curar-se com tal método? Três dias depois, o orangotango arrancou o dente ruim e, a fim de anunciar o êxito de sua consecução médica, trouxe o dente ao seu amo com evidente orgulho. Sim, o Dr. Orangotango não ficou perplexo quanto ao modo de cuidar de seu problema dental doloroso!
O Sr. Búfalo africano não fica nada atrás quando se trata de enfrentar seus problemas de saúde. Delmont relata que, certa vez, deu com uma manada destes búfalos gravemente afligidos com sarna. Seguiu-os para ver o que seria deles, e, depois de dez dias de viagem, eles atingiram as margens de um lago lamacento. Ali, os búfalos fizeram um jejum parcial e passaram a maior parte do dia charfurdando na lama, ficando apenas com o pescoço fora d’água.
Depois de um mês, Delmont conseguiu examinar um, e viu que começavam a crescer pelos de novo nas áreas afligidas e que os ácaros aflitivos quase que haviam sumido. Visto que a manada não mostrava sinais de que iria sair dali, continuou a observá-los. Depois de alguns dias, começaram a tratar seus pescoços, esfregando-os amiúde na lama e formando crostas duras e grossas de lama sobre as últimas destas áreas infetadas. Os búfalos não retornaram à sua dieta regular nem acabaram seus tratamentos médicos com lama, até que ficaram completamente sarados.


Medicina Preventiva


Naturalmente, uma coisa é curar uma ferida, mas outra coisa bem diferente é tomar precauções para evitá-la. E, sobre este último aspecto, verificamos que Deus dotou os animais da habilidade instintiva de exercer a medicina preventiva. Sim, muitas criaturas, grandes e pequenas, dão passos para ajudar-se a permanecer com boa saúde.
“Tanto as aves como os animais”, diz Rutledge, “banham-se regularmente para livrar seus corpos não só de parasitos, mas também de possíveis fontes de infecção. Tais banhos são de muitas variedades — de água, de sol, de lama, de pó. . . . É quase que um hábito diário de aves de caça como a codorniz, o galo silvestre e o peru selvagem tomarem banhos de pó para desencorajar os insetos.”
Considere o que o peru selvagem faz para manter suas crias em boa saúde. Quando chove, reduz-se a resistência dos peruzinhos às moléstias. Assim, a perua mãe os obriga a comer as folhas amargas de um arbusto de condimento. Embora tais folhas não constituam o alimento regular dos perus, fornecem o tônico necessário de que os filhotes necessitam nesta ocasião crítica.
Até os urubus que comem carcaças de outros animais seguem um programa sanitário de higiene prática que é, realmente, medicina preventiva. Mantêm seus utensílios de comer, seus grandes bicos, escrupulosamente limpos. Também, escolhem um lugar elevado diretamente sob a luz solar e sentam-se ali com suas asas estendidas a fim de limpar suas penas. Rutledge observa que o modo em que o urubu vive “exige precaução especial sanitária, e ele a toma”. Isto ajuda a explicar porque tais aves de rapina não são infetadas por aquilo que comem.
Os ursos negros que saem da hibernação, na primavera, tornam-se suscetíveis à doença por não estarem em boas condições. Qual é sua medicina preventiva?, Comem frutinhas silvestres e engolem abundantes bulbos de certas flores, cuja ação laxativa os ajuda a retornar à boa forma.
Sabia que, quando certos animais peludos, tais como os cães e os gatos, lambem-se, trata-se realmente de medicina preventiva? A maioria destas criaturas não obtém a vitamina D em sua dieta. No entanto, a ação do sol sobre seus casacos de pele a produz. Assim, lambem-se para obter esta vitamina em seus estômagos. Ao assim fazerem, evitam ficar raquíticos.
Tendemos a pensar que as criaturas que vivem no mar usufruem o banho contínuo, todavia, os habitantes das profundezas limpam-se de contínuo da sujeira que se apega a seus corpos. Muitos crustáceos usam suas patas para fazer isto. Alguns peixes dispõem de pequenos crustáceos que aderem a eles, e estes agem como devoradores de lixo. Sim, as criaturas marinhas também usam a medicina preventiva.
Sir Ray Lankester, certa vez diretor do Museu Britânico de História Natural, disse: “É notável que o ajuste dos organismos a seus ambientes seja tão exatamente completo na Natureza, à parte do homem, que as doenças são desconhecidas como fenômeno constante e normal, sob tais condições. Toda doença a que os animais estão sujeitos, exceto como ocorrência transiente e mui excepcional, se deve à interferência do homem.”


in Despertai de 22/6/1971 pp. 25-27

Provérbio da semana (17:2)

O servo que mostra perspicácia governará o filho que age vergonhosamente, e participará da herança entre os irmãos.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Supermercado nega entrada a clientes de pijama


No Reino Unido, um supermercado na cidade de Cardiff, no País de Gales, colou cartazes na entrada a pedir aos clientes que não entrem na loja vestidos com pijamas. A loja faz parte de uma das maiores cadeias do país e proibiu os clientes de fazerem as compras em pijama. O objectivo é evitar constrangimentos dos outros clientes. Os cartazes informam que «para evitar ofensas ou constrangimentos das outras pessoas pedimos que os clientes se vistam de forma apropriada quando visitarem a nossa loja». «O supermercado não tem regras rigorosas para o vestuário dos clientes, mas não quer pessoas de pijama a andar nos corredores porque pode ofender os outros clientes» afirmou o porta-voz do estabelecimento. O responsável afirmou que os clientes são bem-vindos com calças de ganga e ténis. Elaine Carmody, cliente de 24 anos disse à BBC ter ficado surpreendida com a medida considera-a «ridícula» e «patética». A jovem afirma mesmo que a medida pode fazer com que a loja perca clientes «que vão a outras lojas onde podem fazer compras de pijama». Esta cliente afirmou que ia várias vezes fazer compras ao supermercado de pijama até que há uma semana foi proibida de entrar quando queria comprar cigarros.


in SOL / estranhomasverdade.com


Bom... Será assim tão normal ir às compras de pijama?!

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Poderá melhorar sua voz


QUANDO fala, será que os outros lhe dão ouvidos? Obtém de sua pessoa a impressão correta? Se não, talvez isso seja devido à sua voz. Uma boa voz é sonora e forte, sugerindo energia. É uma voz que instila confiança e crédito. Detém a atenção. Uma voz ruim detrai que é dito. Pode dar uma impressão errada.
Sua voz é influenciada por sua personalidade. Quando as pessoas o ouvem falar, tiram conclusões quanto à espécie de pessoa que é. Em certos casos, as conclusões talvez signifiquem a diferença entre conseguir um emprego e não o conseguir. Há agências de emprego que preferem que o peticionário lhes telefone, ao invés de escrever, de modo que possam julgar a personalidade do peticionário pelo som de sua voz. Mas, o que a voz duma pessoa talvez pareça revelar sobre sua personalidade talvez não seja verdadeiro.
Em certa ocasião, talvez tenha tido características ruins que influíram na qualidade de sua voz. Visto que a produção da voz é um hábito mecânico, essa determinada qualidade de voz talvez tenha continuado, muito embora a pessoa aprimorasse sua personalidade. Talvez sua voz seja ríspida e dura, mas a pessoa não tencione que isto aconteça. Seja qual for a impressão desagradável, pode ser mudada pelo melhoramento da voz.
Se profere discursos públicos, sua voz pode fazer com que a assistência reaja de forma favorável ou desfavorável para com sua pessoa. Pense nos vários oradores a quem ouviu. Será que o orador com voz fraca e fina conseguiu mantê-lo atento? Será que o orador com voz trêmula e sem fôlego instilou-lhe confiança? Será que o orador com inflexão constantemente recorrente de sua voz, aumentando e diminuindo de volume, fez sentir que ele era sincero? Ou não ficou muito mais favoravelmente impressionado com o orador dotado de voz forte, clara e cheia, que possuía variedade de inflexão?
Assim, se costuma fazer discursos públicos, tem motivo adicional para melhorar sua voz. Mas, primeiro, tem de reconhecer a necessidade de fazê-lo.


Ouça a si Mesmo Quando Fala


Embora ouça a si mesmo quando fala todo dia, não ouve a si mesmo como os outros o fazem. As vibrações de sua voz em seu corpo fazem com que tenha som diferente para o leitor da que para os outros que ouvem apenas o som que lhes chega pelo ar. Se nunca ouviu alguma vez a sua voz num gravador de alta-fidelidade, provavelmente ficaria muitíssimo surpreso se a escutasse. Usualmente a pessoa, ao ouvir uma gravação de sua voz pela primeira vez, dirá em descrença: “É essa a minha voz? Não se parece com ela!”
Assim, para ouvir a si mesmo como os outros realmente o ouvem, grave uma fita de sua própria voz em situações que incluam palestra, leitura em voz alta e um discurso público, se tiver oportunidade de proferir um. Veja se a voz que ouve reflete a personalidade que acha ter. Note se é agradável e fácil de ouvir. É suficientemente alta, ou alta demais? São claros os tons e as palavras? É suficientemente amplo o diapasão? Parece artificial? É uma voz que gostaria de ouvir? Depois de ouvi-la, poderá determinar melhor em que deve empenhar-se em melhorar.


O Que Influi na Qualidade da Voz?


A coluna de ar que envia para cima, proveniente dos pulmões, quando fala, constitui o alicerce dos sons que produz. Ela entra em sua caixa de voz, chamada laringe, onde há duas dobras de tecido muscular, chamadas de cordas vocais. Estas se põem em vibração pelo ar que passa por elas. Seu tom muda, à medida que os músculos as apertam ou soltam, assim como o tom duma corda de violino muda quando é apertada ou afrouxada. Quando se acham amplamente separadas, permitem o respirar tranqüilo comum. Mas, quando são ajuntadas, consegue produzir os sons que usa ao falar.
O som de suas cordas vocais atravessa o ar em sua garganta até a boca e fossas nasais. Estas ajudam a ampliar o som que provém de suas cordas vocais, assim como os tubos progressivamente ampliados de muitos instrumentos de sopro o fazem. As fossas nasais são também ressonadores e constituem importantes fatores na qualidade da voz. Diferente de um instrumento musical de cobre, podem ser modificadas pela contração e descontração muscular, tornando-as grandes ou pequenas e de várias formas, segundo o que faz com seus maxilares e lábios. O resultado é a mudança na qualidade do tom.
Estas fossas ressonantes de sua cabeça e garganta talvez possam ser comparadas à caixa de um violino. Os sons produzidos pelas cordas vibrantes são reforçadas pela caixa oca ou corpo sob as cordas e se tornam facilmente ouvidas até mesmo à distância. A forma e o tamanho daquela caixa influem no tom. Assim, o violino tem diferente tom que a viola e o violoncelo. Suas fossas ressonantes são tão importantes para os sons provenientes de suas cordas vocais como as caixas destes instrumentos o são para os sons que provêm de suas cordas.
A forma em que usa seus lábios, sua boca, garganta e fôlego influi na qualidade de sua voz. É por isso que o cantor bem treinado, que sabe usar o fôlego e as fossas ressonantes com o máximo proveito, pode produzir sons que são muito mais apreciáveis de se ouvir do que os sons produzidos pelo cantor destreinado. Isto se dá também com os oradores bem treinados e destreinados.
Se não abrir a boca, mas falar através de dentes cerrados e lábios apertados, não poderá obter boa ressonância e uma voz agradável. Este hábito também torna difícil que seja entendido. Por abrir a boca, poderá tornar-se mais audível, com menos esforço, e poderá produzir tons claros e cheios.


Controle da Respiração


Melhorar a qualidade da voz começa com a respiração. Para se obter tons firmes e suaves de volume adequado, é necessário um suprimento bom e constante de ar, com bom controle. Consegue-se isto mediante a respiração diafragmática, sendo o diafragma um músculo sob os pulmões, ao invés de pela parte superior estreita dos pulmões, como tantas pessoas fazem. Com freqüência se lembra aos cantores que façam isso por lhes dizer que ‘sustentem seus tons contra seu cinto’. Por meio da respiração diafragmática, enche os pulmões até em suas partes inferiores. Quando se faz isto, pode sentir a pressão de seu cinto ou de outra roupa sobre o abdômen.
Dispondo de boa reserva de ar e controlando seu uso com seu diafragma, ao invés de com os músculos da garganta, pode dar à sua voz o apoio adequado, sem esforço. As pessoas que não aprenderam a descontrair os músculos da garganta e a desenvolver o hábito da respiração diafragmática, forçam tanto seus músculos da voz que não raro se tornam roucas depois de falar por algum tempo. Isto se dá em especial se tentam fazer com que sua voz predomine sobre um ruído exterior.
O orador ou cantor treinado pode usar sua voz durante horas sem tensão, porque mantém descontraídos os músculos de sua garganta. Obtém a força que deseja por depender da coluna forte de ar resultante de usar seu poderoso diafragma. Por fazer isto, um cantor de ópera pode cantar intermitentemente durante duas ou três horas com volume suficiente para encher um auditório e sem ficar rouco.


Como Melhorar Sua Voz


Aprender a controlar a respiração é a primeira coisa a fazer. Faça um esforço consciente de evitar expandir a parte superior de seu tórax quando inala para falar ou cantar. Faça com que a parte inferior dos pulmões se expanda. Encolha o abdômen para apoiar o diafragma. Então, controle a saída de ar por gradualmente permitir que seus pulmões expirem com bom apoio diafragmático, mantido pelos músculos abdominais. Ao mesmo tempo, mantenha descontraídos seus músculos da garganta. Isto pode ser praticado por se contar tanto quanto possível, sem esforço, num único fôlego. Ler em voz alta também é boa prática.
A ressonância pode ser melhorada por senti-la em sua cabeça. Isto pode ser feito por se exagerar os tons vibrantes e os prolongar. Sussurrar e ecoar as letras “m” e “n” ajudarão a melhorar sua ressonância. Misture tais letras com vogais em palavras tais como mão, não, sem, tem, e assim por diante. Sustente o som de “n” e “m” por duas vezes mais tempo do que o comum, ao praticar.
Para que as palavras que profere possam sair cheias e distintas, precisa de boa articulação. Isto exige o livre movimento dos lábios, língua e maxilares, pois moldam os sons. Se tiver o hábito de falar com os lábios e maxilares apertados, precisará fazer exercícios que os tornem mais flexíveis. Pela prática, também poderá melhorar sua articulação, de modo que suas palavras saiam distintas. Os sons não devem sobrepor-se e tornar-se indistintos. Talvez precise empenhar-se nisso pacientemente por muitos meses. Um bom exercício é ler em voz alta. Ao fazê-lo, pronuncie cada palavra corretamente e destaque com cuidado cada som. Mas, tenha cuidado de não exagerar e ficar com uma maneira afetada de falar.
Suponhamos que tenha o problema de habitualmente falar com sua voz num diapasão muito alto. O que pode fazer para evitar isto? Um diapasão alto é devido à tensão dos músculos que controlam as dobras ou cordas vocais. Apertam as dobras e assim elevam o diapasão da voz. Por descontrair os músculos dos maxilares e da garganta, e por usar a respiração diafragmática, poderá desenvolver um tom mais agradável e levar o diapasão de sua voz a um âmbito mediano, que é o nível mais natural e que soa menos tenso. Daí, terá maior amplitude de inflexão.
Uma voz suave e tenra, com tons claros, é agradável de se ouvir, mas a voz não deve ser suave demais. Quando é, as pessoas talvez tenham dificuldades de ouvir o que lhes diz. Com o correto controle respiratório, a pessoa de voz suave pode controlar seu volume, mantendo-o adequado em todos os tipos de situações.
Por outro lado, algumas pessoas têm vozes que sempre são bombásticas. Tais vozes são inapropriadas para ambientes tranqüilos e podem irritar outras pessoas. Isto se dá em especial quando se ouve a tais pessoas no telefone. Às vezes é necessário manter o fone a diversos centímetros de distância do ouvido da pessoa, porque a voz do outro lado é inconsideravelmente alta. Aprender a variar o volume de sua voz para ajustar-se às circunstâncias é um dos fatores que contribuem para a boa voz.
Se uma pessoa com voz perpetuamente alta ouvir a si mesma num gravador e ouvir como soa perante os outros, isso a ajudará a ver a necessidade de reduzir seu volume. Tudo que é necessário para melhorar tal voz, no que diz respeito ao volume, é um pouco de esforço consciente para falar mais suavemente.


Temperamento e Atitudes


O que se reflete em particular em sua voz, que leva as pessoas a tirar conclusões sobre sua pessoa, são o seu temperamento emocional e suas atitudes. Pode avaliar isso quando pensa nas várias pessoas de sua vizinhança. Suas emoções colorem suas vozes.
A mulher de temperamento estourado, por exemplo, talvez tenha voz áspera e irada quando está emocionalmente perturbada. Outra pessoa talvez revele sua opinião sobre alguém por falar com voz cheia de sarcasmo. Outra pessoa talvez transpareça sua mesquinhez pela sua voz, como o veneno duma cobra. Por outro lado, a pessoa feliz talvez mostre isso pelo brilho de sua voz, e alguém enamorado talvez mostre isso por um tom sonhador.
Uma atitude crônica de queixa talvez seja refletida na voz por uma lamúria. A pessoa com indiferença egoísta para com os outros talvez tenha na voz um toque de dureza. A pessoa condolente talvez revele esta atitude por uma voz calorosa e compreensiva. Assim, há muitas emoções e atitudes que uma voz pode refletir. Estas não podem ser melhoradas por exercícios vocais, mas exigem a mudança de personalidade. Feito isto, a pessoa está em condições de empenhar-se para que sua voz não mais reflita sua velha personalidade. Até mesmo se nada mais for conseguido, esta mudança apenas na impressão causada faria com que valesse o esforço todo de melhorar a voz.


in Despertai de 22/6/1971 pp. 17-20

Provérbio da semana (17:1)

Melhor um pedaço de pão seco com tranquilidade, do que uma casa cheia dos sacrifícios da altercação.

OBRIGADO RUI COSTA!

AMOR MEU, DOR MINHA

DOR MINHA QUE BATES NO CORAÇÃO,
OLHOS TEUS QUE CRUZAM COM A PAIXÃO;

PARA ONDE FORES CONTIGO IREI,
ONDE ESTIVERES AÍ FICAREI;

NA ROTA DO AMOR BUSCAMOS SINTONIA,
SENDO O MAIS IMPORTANTE A COMPANHIA;

FELIZ AQUELE QUE TE AMA,
E QUE PODE ALIMENTAR A CHAMA;

FICAREI. FELIZ. SINTO O TEU ABRAÇO FORTE,
SINTO QUE O AMOR NÃO ALIMENTA A MORTE;

POR TUDO ISTO UM ADEUS NÃO PERMITO,
NO NOSSO CORAÇÃO O AMOR NÃO É MALDITO.