National Geographic POD

Brandus dream list

Mensagens populares

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Tempo de férias!

Chegou o merecido descanso! Para todos vós que acompanhais com paciência o meu blog, desejo boas férias e que aproveitem o Verão ao máximo!

Entretanto, se tiverem tempo e paciência, passem pelos arquivos do blog, pode ser que encontrem coisas interessantes... ( o mais certo é não encontrarem nada! LOL )

Até breve!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

O saber não ocupa lugar - 283


O pirilampo produz luz através da oxidação da luciferina, que perde energia e faz o inseto brilhar.

Ver com apreciação


JÁ VIU um pássaro ou um inseto voar? Antes de responder, “É claro que sim”, deixe-nos definir mais precisamente o que queremos dizer com “viu”.
Por exemplo, muitas pessoas, quando vêem uma ave, notam apenas o lindo arranjo de penas. Mas, um gato, vendo o mesmo pássaro, talvez veja nele um bom jantar. Daí, então, o lavrador, ao ver um pássaro, digamos, uma andorinha, talvez veja um sinal da primavera que se aproxima. Assim, “ver” pode significar muito mais do que apenas receber uma imagem na retina do olho.
Considere, por exemplo, um experimentado relojoeiro que examina um relógio peritamente construído. O que “vê”? Sua visão penetra mais fundo do que apenas uma olhadela dentro de sua caixa. Julga suas qualidades como relógio, pesando os prós e os contras do método de construção empregado e avaliando sua eficiência. O seu “ver” talvez atinja a mente do inventor do relógio, ao comparar o resultado que vê com os problemas que o inventor teve de vencer. Talvez até mesmo estabeleça uma espécie de familiaridade respeitosa com o fabricante por meio de seu produto.
Este exemplo de “ver” nos preparará para uma “espiada” profunda no vôo das aves e insetos. Sem dúvida, seu vôo é gracioso, mas, quão bons são como máquinas voadoras? E que qualidades reflete sua feitura sobre seu arquiteto?


Versatilidade


Quando viu pela última vez, digamos, uma libélula, o que viu realmente? Talvez sua atenção fosse atraída a ela à medida que adejava diante de seus olhos. Provavelmente a admirasse por suas cores belas que reluziam ao sol. Daí, talvez tenha partido de súbito em espantosa velocidade, numa direção aparentemente imprevisível. Se já se interessou pela ciência do vôo, poderia quedar-se imaginando como é que essa criaturinha conseguia combinar as peculiares qualidades do adejar, de um helicóptero, com a estabilidade de alta velocidade dum avião de asas fixas. Que versatilidade!
Quanto mais ponderasse, mais isso o deixaria impressionado. Sem dúvida, os estrategistas militares de grandes potências deste mundo, que competem furiosamente, dariam até o resgate dum rei para conseguir aplicar os segredos guardados por esse pequeno inseto. Assim, se “viu” com discernimento, observou não apenas um belo inseto, mas maravilhoso exemplo de versatilidade numa máquina voadora.
Esta qualidade invejada de versatilidade é comum em toda a criação. Tome, por exemplo, o gavião, que possui uma estrutura de asas e um mecanismo que não têm muita semelhança com os da libélula. Todavia, também ele consegue adejar num certo local e partir em alta velocidade, duas qualidades de vôo que o homem continuamente se empenha em alcançar.


Efeitos Ambientais


É digno de nota que um arquiteto magistral leva em conta todas as coisas, inclusive os efeitos ambientais. Recusa-se a se deixar escravizar aos interesses adquiridos ou a algum aspecto estreito da eficiência técnica. Com efeito, um arquiteto perito é reconhecido pela forma com que equilibra maravilhosamente os aspectos técnicos e estéticos e então extrai, a duras penas, o máximo de cada aspecto.
Com isto em mente, considere outro aspecto do vôo. Já notou que as criaturas voadoras não perturbam os sentidos? Os sons produzidos por elas, por exemplo, são em geral sons bem recebidos. Mas, quão diferentes são os sons que abalam os nervos, provenientes quer de um avião de asas fixas quer dum helicóptero. Também, as máquinas voadoras do homem poluem o ar que respiramos, provocando doenças e moléstias. Que contraste!


Eficiência Aerodinâmica


Mas, como se compara uma ave com um avião na eficiência aerodinâmica? Consideremos a asa. Quão eficaz é? Isso depende em grande parte de sua forma. Depois de muito esforço, envolvendo alta matemática e experiências em túneis de vento, o homem conseguiu desenhar uma asa que fornece aceitável eficiência de vôo. Mas, como seria de esperar, a asa da ave tem exatamente a forma ideal para o tipo de vida que vive essa determinada ave. Exemplificando, o albatroz e o gavião vivem vidas completamente diferentes, e suas asas são feitas com perfeição para satisfazer seus requisitos variados. Realmente, quem já viu um avião que consegue fazer o que uma ave faz com suas asas?


Propulsão


Bem, então, o que dizer do método de propulsão? A bem da simplicidade, consideremos a hélice ou, mais especificamente a hélice de avião (airscrew). Como funciona este método de propulsão?
Como seu nome em inglês subentende, ela vai abrindo caminho em espiral pelo ar, fornecendo assim o empuxo necessário para o avião a que está ligada. No entanto, difere dum parafuso de metal que penetra numa porca sólida porque o ar como que escorrega, constituindo assim contínua perda que não se daria na porca sólida.
Para visualizar este tipo de perda, poderíamos pensar num pescador que pesca com linha e que puxa enorme peixe. Se seu barco estivesse rigidamente ancorado no leito do rio ou do mar, o único trabalho que teria seria enrolar a linha com seus braços. No entanto, se o barco não estivesse ancorado, e desejasse manter sua posição exata, teria de fazer o motor do barco operar com igual velocidade para impedir ser arrastado pelo peixe. Toda a energia usada pelo motor seria assim pura perda, devido à fluidez do ambiente.
Mas, o que dizer da asa dum pássaro? Ora, passa ao largo virtualmente toda a perda de deslizamento de um motor, devido a seus movimentos maravilhosamente coordenados das batidas e das técnicas de adejamento. Nem o método de propulsão a jato empregado pelos aviões modernos chega perto da eficiência da propulsão alcançada pelas asas dos pássaros.
A batida das asas e a planagem como meio de propulsão empregados pelo pássaro podem, em certo sentido, ser comparadas aos movimentos de um patinador. Tente imaginar um patinador que desliza por pequeno declive e então, pouco antes de chegar ao fim do declive, consegue pisar no ápice de outro declive que corre ao lado. Na patinação normal, emprega-se este princípio, exceto que as pernas são jogadas para o lado, para dar propulsão ao corpo. No caso dum pássaro, o movimento para baixo das asas impele a criatura.


Maneabilidade


Que máquina voadora verdadeiramente maravilhosa e eficaz é um pássaro! Ora, parece destilar evidência de engenhosidade. E, em especial, que maravilhoso instrumento é a asa!
Já viu duas gaivotas mergulharem em busca do mesmo petisco ou quase colidirem? Mas, note que apenas quase colidem, pois parecem flutuar um ao redor do outro num lufa-lufa de batidas de asas, à medida que o perdedor age de modo evasivo.
Ou já observou um corvo pousar numa cerca de arame? A perda de velocidade não o deixa temeroso. Ao se aproximar do pouso, parece que vai ultrapassar o alvo, mas lá vem a ponta daquela poderosa asa, que apenas há pouco prestara tão eficaz serviço como hélice, e faz uma acrobacia aérea. E que acrobacia! Quão belamente controlado, ao deslizar brandamente em direção ao arame! Mas, com mais probabilidade, devido a ser um camarada tão suspeitoso, não pousará sequer, mas deixará de imediato o estol e, despreocupadamente baterá asas, corvejando ao partir, bem indiferente ao feito notável que acabou de realizar.
Os desenhistas aeronáuticos em geral reconhecem os muitos benefícios das asas moventes e das asas de forma variável, quer para se obter maior versatilidade, quer para conseguir os movimentos difíceis que são necessários para se executar as manobras de pouso como as dum pássaro. Mas, os resultados lamentáveis que os engenheiros humanos já conseguiram com asas oscilantes e asas de forma variável sugerem quanto o homem ainda precisa ir antes que possa sequer chegar aos pés dos feitos de acrobacia aérea vistos na criação.
Assim, quanto mais observamos e ponderamos a respeito das criaturas voadoras, quer pelo aspecto da versatilidade, da eficiência aerodinâmica, quer da maneabilidade, tanto mais podemos avaliar que mestre em sua arte é o seu Criador. Vendo quão belas as criaturas volantes são aos olhos, bem como quão quietas e graciosas, sentimos mais profunda apreciação pelo seu Grande Arquiteto.


in Despertai de 22/2/1971 pp. 16-18

Provérbio da semana (15:27)

Quem obtém lucro injusto traz o banimento sobre a sua própria casa, mas aquele que odeia dádivas é quem continuará vivendo.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O saber não ocupa lugar - 279


Os nativos do arquipélago de Yap, nos Estados Federados da Micronésia, usam roscas feitas de pedra, com diâmetros que variam de centímetros a metros, como moeda de troca.

Os dentes e seu filho


“A INCIDÊNCIA da cárie dental no que é presumivelmente a nação mais bem alimentada do mundo, hoje, desafia a imaginação”, escreve o Dentista Samuel Dreizen em The Journal of School Health (O Jornal da Saúde Escolar). “Menos de 5% da população em idade escolar neste país é poupada dos estragos desta doença.” Para combater os estragos da cárie dental, as crianças precisam da ajuda dos pais.
Se é genitor, o que pode fazer para ajudar seus filhos neste respeito? Pode ensinar-lhes as coisas que deveriam saber sobre como cuidar dos dentes. E bem que poderiam começar por criarem apreço pelos seus dentes.


Feitos Para Longo Uso


Pode ajudar seus filhos a avaliar que maravilha são realmente os dentes. Ora, o esmalte dos dentes é a substância mais dura de seu corpo. De substâncias muito duras, tais como balas, nozes e gelo esmagado, a macios pães, biscoitos e arroz cozido, os dentes agüentam muita coisa em sentido físico. Também operam numa grande variedade de temperaturas, dependendo do que a pessoa coma. Em uma refeição, é provável que passe por eles uma bebida a uns 82° C, e, no minuto seguinte, um sorvete a 6,7° abaixo de zero. É o bastante para fazer seus dentes estalejar!
Estes dentes surpreendentes conseguem durar longo tempo no caso daqueles que cuidam bem deles. O Criador os fez para isso, e é bom que os filhos saibam disso. Grande parte do motivo pelo qual as pessoas não cuidam dos dentes nos anos posteriores da vida se deve à sua própria negligência ou à de seus pais. Pode verdadeiramente fazer muita coisa para influenciar o desenvolvimento e a manutenção de dentes bons e saudáveis em seus filhos.


Desenvolvimento dos Dentes


Para ajudar os filhos, é bom saber algo sobre o desenvolvimento dos dentes. Pode-se dividir isto em três fases: (1) O período durante o qual a coroa do dente se forma de células e se calcifica ou endurece no maxilar; (2) o período da erupção, quando o dente começa a se tornar visível e o desenvolvimento da raiz se acha em progresso; e (3) o período de manutenção, durante o qual se completa a formação da raiz, e a coroa do dente fica plenamente visível.
A maioria dos dentes permanentes já têm de oito a dez anos quando se desenvolvem por completo. Durante parte deste tempo, formam-se no próprio maxilar. Usualmente, todos os dentes básicos ou de leite começaram a formar-se enquanto a criança ainda se achava no útero da mãe. Tão cedo quanto o segundo ou terceiro mês de gravidez, começam a desenvolver-se estes rebentos de dentes de leite. Os molares de seis anos, que são dentes permanentes, começam a formar-se entre o sétimo mês intra-uterino e o nascimento. Desde este tempo até a idade de cerca de três anos, a coroa cresce ao seu tamanho de adulto e fica calcificada.
A erupção do dente na boca usualmente ocorre entre as idades de seis e sete anos, mas a raiz do dente não é completamente formada até à idade de nove ou dez anos. Assim, pense nisso: Dez anos de formação! Pode ver que são feitos para durar longo tempo.
Durante este período de desenvolvimento, há muito que se pode fazer para influenciar estes dentes a crescer e se tornar estruturas saudáveis.


Fatores Nutricionais


Pode avaliar quanto a boa nutrição desempenha uma parte em desenvolver dentes saudáveis se tiver presente que, na metade do tempo em que os dentes permanentes se estão desenvolvendo, acham-se por baixo do tecido da gengiva no maxilar. Como foi demonstrado pela pesquisa dental, “a incidência da cárie dentária, em particular, segundo demonstrado, relaciona-se a específicas anormalidades nutricionais que ocorrem durante o desenvolvimento dos dentes”.
Os dentes fornecem permanente registro da antiga condição nutricional da pessoa. Sim, ao passo que os dentes se desenvolvem, a falta de adequados blocos de construção nutritivos poderá causar alguma fraqueza na estrutura final e isto talvez permita que os dentes cariem mais rapidamente.
Quase todos os dentes de leite e alguns dos dentes permanentes começam a formar-se enquanto a criança ainda se acha no útero da mãe. Assim, a mãe necessita de boa nutrição, talvez até mesmo a suplementação de sua dieta com vitaminas e sais minerais, a fim de assegurar-se deste crescimento e desenvolvimento apropriados não só dos dentes, mas de vários tecidos do corpo também.
Depois de a criança nascer e começar a comer por si mesma, a influência parental pode e deve ser especialmente bem orientada. O tempo de criar hábitos alimentares saudáveis é os primeiros anos de vida.
Na dieta diária deve ser incluída boa variedade de alimentos básicos, inclusive alimentos de vários grupos alimentares: proteínas, carboidratos e gorduras. Muito embora os alimentos ingeridos em várias partes do mundo difiram grandemente, é boa idéia os pais incentivarem seus filhos a comer frutas frescas e verduras. Frutas e legumes crus fornecem uma variedade de benefícios que os alimentos refinados e processados muitas vezes não podem dar. Não só provêem boa nutrição, mas também encorajam o exercício dos dentes e gengivas por causa de sua contextura, que requer maior mastigação. Assegure-se de que seu filho coma o que é bom para ele e não apenas as coisas de que gosta.
Há outros fatores que influem no desenvolvimento de bons dentes, tais como a hereditariedade e a doença. Mas, a pessoa tem pouco controle sobre isso, de modo que seu esforço precisa ser concentrado principalmente nas áreas em que lhe causarão o maior bem. Naturalmente, não há dieta universal que mantenha os dentes de seu filho livres da cárie dentária por toda a vida dele, mas, há certos alimentos que são muito melhores do que outros.


Depois de os Dentes Saírem


Até agora consideramos principalmente como ajudar seu filho a desenvolver dentes saudáveis. À medida que o dente começa a sair na boca, seu ambiente subitamente muda. Agora pode ser atacado pelos alimentos e pelas bactérias que formam ácidos; estes podem penetrar até mesmo pelo duro esmalte e, por fim, provocar uma cárie. Alguns dentes podem ser tão gravemente danificados que tenham de ser extraídos.
Há dois modos aparentes de combater o efeito danificador destes ataques ácidos: Elimine em grande parte os açúcares refinados e limpe cabalmente os dentes.
As dietas modernas contêm grande parte de açúcares refinados e carboidratos que fermentam rapidamente, tais como a sacarina. Estes, combinados com certos tipos de bactérias, podem ser muitíssimo prejudiciais à estrutura dos dentes. Os pesquisadores dentais chegaram a avaliar que a ingestão de quantidades excessivas de tais carboidratos apressa a cárie dentária. Por outro lado, se a ingestão de alimentos refinados for reduzida ou até mesmo eliminada da dieta das crianças, a taxa de cáries é, semelhantemente, reduzida ou até mesmo cessa.
Algumas crianças são muito mais suscetíveis às cáries do que outras. A taxa de cáries difere amplamente de criança a criança, mas permanece o fato que grande parte do problema de cáries se liga à ingestão de coisas doces.
Um programa eficaz para reduzir o consumo de doces começa com os pais. Os pais que consomem grande quantidade de biscoitos, balas e bolos terão muita dificuldade em convencer seus filhos a não fazer o mesmo. As crianças criam um apetite de coisas doces em tenra idade. Se tais alimentos forem mantidos no lar em todas as ocasiões e ficarem prontamente disponíveis, então o resultado será hábitos alimentares deficientes. Isto não significa que os doces tenham de ser completamente eliminados. A limpeza correta depois de tais merendas pode também ser um meio eficaz de reduzir as cáries.


Limpeza Correta


Usualmente a criança pode aprender a escovar os dentes já com dois anos de idade e não mais do que três. A supervisão parental, por certo, é importante. E trata-se de boa idéia que os pais escovem os dentes ao mesmo tempo e assim dêem o exemplo correto. Isto também encoraja o filho a continuar escovando os dentes como parte de sua rotina diária.
Depois de a criança ter tido oportunidade de fazer sua parte, o genitor talvez deseje passar os olhos nos dentes dela para assegurar-se de que foi feito um serviço completo. As áreas de especial preocupação nesta idade são as coroas ou superfícies de mastigação de todos os dentes trazeiros ou molares.
Os lados próximo das bochechas e da língua de tais dentes, próximo da gengiva, são freqüentemente áreas que cariam porque não são escovadas devidamente. Partículas de alimento se alojam ali, provocando um anel branco em volta dos dentes neste área. Mesmo depois de os restos de comida serem removidos, o ácido do alimento e das bactérias talvez deixe um anel branco no esmalte, como evidência de cárie. Escovar devidamente os dentes pode contribuir muito para impedir que isto aconteça.
É preciso experiência e bastante esforço para fazer um trabalho completo de limpar os dentes com uma escova. Por volta dos três anos, a criança usualmente tem vinte dentes de leite na boca. Cada um destes dentes tem cinco superfícies que precisam ser limpas. Isso eqüivale a cem superfícies dentárias que precisam de atenção. Na dentição permanente, há 32 dentes ou 160 superfícies a limpar. Pense nisso na próxima vez que apanhar sua escova de dentes!
Escovar os dentes é, provavelmente, o método mais amplamente praticado de limpar os dentes. Escová-los de qualquer modo não é o bastante. Há diversos métodos advogados pela classe dos dentistas. Conforme já foi declarado no Journal of the American Dental Association, “A efetividade dos processos da higiene oral é mais uma questão de técnica e esforço do que dos materiais usados.” Pode aprimorar sua técnica, bem como a quantidade de esforço que exerce para limpar seus dentes, junto com a experiência.
Quaisquer métodos suplementares para se limpar os dentes, tais como o uso de fio ou linha dental, palitos e estimulares interdentais, devem ser empregados antes de se escovar os dentes, em especial se um dentifrício medicinal for usado. Para produzir o maior bem, estes agentes de limpeza precisam atingir os dentes.
O fio dental é, provavelmente, mais eficaz do que qualquer outro método de limpar a área entre os dentes. Por poder ser colocado com jeito entre os dentes, pode desalojar partículas de comida e restos que a escova de dentes jamais alcançaria. Isto é importante porque a maioria das cáries dentais e das moléstias peridentárias começam entre os dentes. A limpeza com fio deve ser seguida por vigorosa lavagem bucal para eliminar as partículas soltas. Se se seguir este proceder com uma escovada cabal dos dentes e das gengivas, a boca ficará refrescantemente limpa.
Há ocasiões em que a pessoa se vê sem sua escova de dentes e pasta. Quando isto acontece, pode usar um pedaço de tecido limpo e áspero para fazer uma limpeza de emergência. A lavagem bucal também ajudará em certa medida, quando não estiver disponível nenhum outro método.


Cárie Dentária


As áreas de cárie se apresentarão como pequenas áreas de coloração escura nos sulcos e fendas das superfícies de mastigação. Também aparecem como áreas cinza-escuras entre os dentes. Nestas pequenas rachaduras e fissuras, o alimento às vezes se acumula e pode ser difícil de ser removido. À medida que as bactérias na boca começam a atuar sobre ele, produz-se uma substância ácida. Este ácido é o que provoca o dano. Naturalmente, são necessários vários ataques de ácidos para romper por fim pela superfície externa do esmalte. Uma vez faça sua entrada na estrutura interna do dente, a dentina, este processo se realiza muito mais rapidamente, visto que a dentina é muito mais macia.
Assim, o tempo de parar o processo é antes que comece, por se remover as partículas de alimento, em especial os carboidratos, dos dentes com certa rapidez. Isto significa ensinar as crianças a escovar os dentes após merendarem, bem como após as refeições.
Escove quaisquer áreas suspeitosas mui cabalmente. Se certa área ainda estiver escura ou descolorida depois de escová-la com cuidado, recomenda-se uma visita ao dentista. Quanto menor for a cárie descoberta, tanto mais fácil será a obturação.
Três anos é boa idade para seu filho visitar pela primeira vez o dentista, quer veja cáries quer não. Usualmente, nesta idade, todos os dentes de leite (vinte) já saíram por completo na boca e precisam de atenção regular para permanecerem saudáveis.
Cada dente de leite está, em realidade, retendo o espaço necessário para o dente permanente que se desenvolve no maxilar por baixo dele. Se se perder o dente de leite, devido à cárie ou a outros fatores antes de o dente permanente começar a sair, então os dentes tenderão a se acavalar. Assim, talvez não haja espaço suficiente para o dente permanente.
Pode evitar muito trabalho custoso de alinhamento dos dentes por ajudar seus filhos a manter todos os dentes de leite por tanto tempo quanto foram feitos para ficar ali. Isto se dá, também, com os dentes permanentes. Se se perder um, é sábio substituí-lo. Naturalmente, poderá passar sem um substituto, mas o dente que falta eventualmente causará outros problemas, tais como o afastamento dos dentes da posição ou alinhamento corretos, fazendo com que o alimento se aloje entre eles.
Assim, há muitos fatores no desenvolvimento e na manutenção de dentes saudáveis. Alguns destes fatores, poderá controlar. Por que não ensina seus filhos a ter o devido cuidado com seus dentes desde a tenra idade? Mais tarde, eles lhe serão muito gratos.


in Despertai de 22/2/1971 pp. 12-15

Provérbio da semana (15:23)

O homem tem alegria na resposta da sua boca, e uma palavra no tempo certo, oh! quão boa ela é!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

O saber não ocupa lugar - 278


O Monte Olimpo, um vulcão extinto na superfície de Marte, é a maior montanha do Sistema Solar, três vezes mais alta que o Monte Everest, na Terra.

quinta-feira, 2 de julho de 2009

OBRIGADO RUI COSTA!

AMOR MEU, DOR MINHA

DOR MINHA QUE BATES NO CORAÇÃO,
OLHOS TEUS QUE CRUZAM COM A PAIXÃO;

PARA ONDE FORES CONTIGO IREI,
ONDE ESTIVERES AÍ FICAREI;

NA ROTA DO AMOR BUSCAMOS SINTONIA,
SENDO O MAIS IMPORTANTE A COMPANHIA;

FELIZ AQUELE QUE TE AMA,
E QUE PODE ALIMENTAR A CHAMA;

FICAREI. FELIZ. SINTO O TEU ABRAÇO FORTE,
SINTO QUE O AMOR NÃO ALIMENTA A MORTE;

POR TUDO ISTO UM ADEUS NÃO PERMITO,
NO NOSSO CORAÇÃO O AMOR NÃO É MALDITO.