National Geographic POD

Brandus dream list

Mensagens populares

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Palavra da semana 4

jiboiar


(jibóia!jiboia + -ar)

v. intr.

Infrm. Fazer a digestão em repouso após se ter ingerido uma refeição abundante.

O saber não ocupa lugar - 326



Oliver Cromwell foi enforcado e decapitado dois anos depois de sua morte.

Raridades e Recordações ( 58 )

Para todos os maus deste Mundo!

Aproveite ao máximo as circunstâncias


QUEM é que, hoje em dia, verifica ser absolutamente ideal o seu quinhão na vida? Dificilmente há alguém! Sem dúvida, todos temos de enfrentar certas durezas ou perturbações. No entanto, nas atuais condições imperfeitas, por que não tenta aproveitar ao máximo suas circunstâncias? Se fizer isso, poderá contar muitas bênçãos.

Acontece-lhe ser uma dona de casa com uma família, talvez uma família grande? Sente-se às vezes descontente, amolada e um pouco frustrada? Talvez haja pilhas de pratos a lavar, grande cesto de roupa suja a lavar e passar e vários quartos a limpar. Por que não encarar as coisas de forma positiva? Não indicam estas mesmas coisas que sua família tem bastante para comer, suficiente roupa e um teto sobre suas cabeças? O que é melhor, a sua situação, ou a de milhões que sentem-se famintos, andam seminus e não têm um lar?

Talvez suas circunstâncias sejam tais que tenha de ser extremamente frugal em tudo que compra. Por que não considera isto como um desafio à sua engenhosidade de aproveitar ao máximo as coisas? Houve a dona de casa que, nos anos posteriores de prosperidade chegou a afirmar que seus anos mais felizes foram durante os tempos difíceis da Depressão, por causa do prazer derivado de fazer o melhor uso possível de tudo para conseguir cobrir suas despesas. Ademais, sabia que grande número das doenças degenerativas modernas se acham um tanto intimamente associadas com o modo de vida próspero?

Ou é vítima da aposentadoria compulsória, tendo sessenta e cinco anos ou sendo mais velho? Será que os dias agora lhe parecem longos, e arrastar-se, atingindo não só sua disposição mental mas também sua saúde? Nesta situação, adote o conceito positivo e tente ser de ajuda a outros. Conforme certo compêndio para o tratamento dos idosos e dos excepcionais se expressa: “Há uma lenda que o homem idoso morrerá de fome se não tiver alguém que cozinhe para ele e a senhora idosa morrerá de fome se não tiver alguém para quem cozinhar. Trata-se dum truísmo geralmente aceito.” Assim, há bastantes pessoas que se poderiam beneficiar de sua ajuda.

Agora, como cidadão mais idoso, talvez seja o tempo de empreender um ou mais passatempos que lhe dêem mais prazer de viver. Talvez seja a fotografia, ou aprender a tocar algum instrumento musical, ou aprender um idioma estrangeiro. Ou, talvez ache interessante cultivar plantas como um jardim bonsai ou violetas africanas. Daí, então, seu temperamento talvez se ajuste a fabricar artefatos de madeira, de couro ou de metal, ou escrever poesia ou artigos. Tais passatempos não só aumentaram o interesse mas também a renda de muito senhor ou senhora aposentados.

Ou, talvez, seja o arrimo duma família, mas, na atualidade, esteja desempregado. Por certo se trata duma circunstância provadora em que se encontra. Todavia, mesmo nesse caso, não melhorará sua situação por entregar-se ao modo de pensar negativo e ficar amargurado ou casmurro. Siga o proceder sábio: conte e aprecie suas bênçãos. Se tiver certa medida de saúde e vigor, pode sentir-se grato por tais coisas. Na medida em que tiver entes queridos, dispõe de motivos para sentir-se grato, pois, não são eles tesouros inestimáveis? Dispõe de seguro de desemprego, seguro social, de economias, ou de alguma outra forma de auxílio? Se assim for, aprecie tais provisões.

Aprenda a aproveitar ao máximo suas circunstâncias. É óbvio que há limite quanto ao tempo que possa gastar procurando emprego. Mas, não é verdade que, quando tinha pleno emprego, havia tantas coisas que precisavam ser feitas no lar, para as quais não dispunha de tempo? Agora tem tempo; interesse-se em fazê-las.

Devido ao desemprego, talvez disponha de tempo para ler mais, a leitura da espécie que não só é interessante mas também educativa. Talvez consiga agora adquirir perícias que talvez até mesmo lhe sirvam para conseguir um emprego melhor.

Ou, tem dificuldades físicas? Então, aprenda uma lição de certo californiano, pai de sete filhos. Contraiu uma infecção que paralisou por completo todos os seus quatro membros, tornando-o um quadriplégico. Embora já esteja nesta situação por mais de treze anos, é a pessoa mais jubilosa, otimista e extrovertida que poderia desejar conhecer. Incapaz de usar qualquer coisa além da mente e a voz, juntou-se a um clube de correspondência e se corresponde com pessoas de todo o mundo por meio de gravações a fita, seus filhos mudando as fitas para ele. Também faz gravações para amigos e conhecidos cegos. A experiência dele traz à memória o velho ditado: ‘Eu me queixava de não ter sapatos até que encontrei um homem que não tinha pés.’

in Despertai de 22/6/1972 pp. 3-4

Provérbio da semana ( 20:1 )

O vinho é zombador, a bebida inebriante é turbulenta, e quem se perde por ele não é sábio.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Palavra da semana 3

dictiopsia


(grego díktion, -ou, rede)

s. f.

Med. Perturbação da visão em que se vê perpassar uma ilusão de redes ou teias de aranha.

O saber não ocupa lugar - 325


Nintendo começou suas atividades como empresa fabricante de cartas de baralho.

Raridades e Recordações ( 57 )

Enjoy!

Vai mudar-se para outro país?


A IDÉIA de emigrar não é de jeito nenhum nova. Em especial, desde o fim da segunda guerra mundial milhares de pessoas emigraram para outros países. Expressões tais como: “Já estou farto da Europa; está estourando de gente — eu vou-me embora!” não têm sido incomuns. Em busca de paz e segurança, muitos têm ido impetuosamente para outros países, deixando atrás seu lugar de nascimento, seus amigos, lares e parentes.

Em aditamento ao motivo de dessatisfação, outros têm emigrado porque procuram a aventura, excitação, progresso e riquezas.

Nem todos conseguiram realizar seus sonhos. Muitos aprenderam que é preciso trabalhar, seja lá para onde se for, e em novas localidades as vezes até mesmo mais arduamente e sob circunstâncias mais difíceis do que no seu país natal. Alguns ficaram com suas esperanças e seus ideais abalados, e voltaram desiludidos para sua terra natal. Para outros, a maneira correta de encarar a questão da emigração pelo menos trouxe limitada satisfação e êxito.

Problemas Encontrados no Novo País

Poderíamos usar, a título de comparação, uma árvore que cresceu por trinta ou mais anos em certo lugar onde o solo é rico e o clima é tépido. Escave tal árvore agora e a coloque num solo pobre e num clima frio. Como ficaria tal árvore? Foi tirada de seu habitat natural. Depois de ser replantada, talvez pareça criar raízes de novo. No entanto, logo suas folhas talvez se sequem e morram. Por fim, talvez sejamos obrigados a admitir que a árvore não se ajustou àquele clima. Alguém que deixa sua terra natal é comparável a essa árvore. Cambia ambientes familiares por um local que talvez jamais tenha visto antes na vida.

Tudo pode parecer muito atraente nos folhetos de viagens, mas o verdadeiro quadro nem sempre é o mesmo. Uma foto não lhe diz quão quente será no verão e quão úmido fica à noite. Se não estiver acostumado a tal clima, poderá tornar-se difícil dormir, de modo que acordará de manhã ainda cansado, tendo à frente outro dia quente. Nem as fotos lhe falam dos diferentes costumes e alimentos, ou dos problemas de se aprender um novo idioma. E, daí, há aquela sensação que talvez comece a sentir no decorrer do tempo: “saudades de casa”. Tais palavras não visam desanimá-lo de planejar emigrar, talvez o ajudem a ter um conceito mais realístico do assunto.

O Que Fazer Antes de Decidir

Se for casado, deve considerar seu cônjuge e seus filhos. Talvez deseje emigrar, mas será isso que seu cônjuge deseja?

Se tiverem chegado a um acordo quanto a mudar-se para outro país, dirija-se a uma boa biblioteca e obtenha alguns informes sobre o país de sua escolha. Ali deve conseguir material útil sobre as condições climáticas, padrões de vida, moradia, e assim por diante. Talvez a embaixada do país para o qual deseje mudar-se possa fornecer-lhe informações adicionais quanto às condições de trabalho e as disponibilidades de emprego (Alguns países fornecem empregos principalmente para seus próprios cidadãos.) Em que tipo de trabalho é perito, e há demanda de tal trabalho onde planeja ir? Naturalmente, os trabalhadores altamente qualificados se acham em demanda em quase toda parte.

Daí, então, sua idade deve ser considerada. É evidente que a pessoa mais jovem usualmente acha mais fácil adaptar-se a novos ambientes do que alguém mais adiantado nos anos. As escolas são ruins em alguns países. Isto é algo que os pais devem considerar. A saúde da família e as facilidades médicas onde a pessoa se destina são outros fatores que devem ser cuidadosamente ponderados antes de a pessoa partir. Alguém que exija cuidados médicos constantes deve pensar duas vezes antes de mudar-se para o exterior. Também, considere se a pessoa vai adaptar-se ao clima determinado do país.

Não se engane pensando que, simplesmente porque um país se acha na América do Sul, por exemplo, deve ter um clima tropical. Os climas talvez variem drasticamente até mesmo dentro de um único país. Na Austrália há de tudo, desde a neve ao sul até os trópicos escaldantes ao norte, as temperaturas caindo a uns 18° abaixo de zero em alguns lugares, mas subindo a uns 45,3°C em outros.

Depois de ter resolvido afirmativamente todas estas questões, outros arranjos precisam ser feitos. Talvez esteja em condições de pagar sua própria passagem. Se isso não for possível, talvez consiga obter ajuda através dum programa governamental. Naturalmente, neste caso será preciso fazer certos acordos. Talvez aconteça que já tenha alguns amigos no país e eles o ajudem a encontrar uma casa e trabalho. Ou, talvez, a firma para a qual trabalhará lhe forneça moradia.

O Que Devemos Levar Conosco?

Ao chegar a hora da partida, surge a grande pergunta: “O que devemos levar conosco?” Muitos têm feito o erro de vender quase todos os seus pertences e então tiveram de comprar os mesmos itens de novo em sua nova residência. Naturalmente, não se pode levar tudo. A mobília, por exemplo, usualmente terá de ser vendida. No entanto, utilidades domésticas, ferramentas e roupas serão úteis onde quer que vá. Mudar-se para uma área quente não significa necessariamente que não precisará de nenhum agasalho. Muitos tiveram de comprar tais roupas de novo com dinheiro arduamente ganho. Quanto à bagagem, lembre-se que, se viajar de navio, sua bagagem não se limitará a certo peso, e poderá levar muito mais do que se viajar de avião.

Como Obter Êxito Nisso

O seu êxito em emigrar dependerá grandemente de sua atitude e do que espera. Tenha presente que o modo de vida em seu país de escolha talvez seja inteiramente diverso daquilo a que está acostumado. O primeiro ano é usualmente o mais difícil. A constante comparação com o modo como as coisas costumavam ser na terra natal não o ajudará a ajustar-se aos novos ambientes. Resolva na mente, antes de partir, que irá gostar de sou novo lar. Tente ajustar seu modo de pensar às pessoas do local e que viverá; não espere que se ajustem ao seu modo.

Seu primeiro passo nesta direção seria aprender o novo idioma tão rápido quanto possível, se já não o fez antes. Faça novas amizades e não limite suas associações às pessoas que vieram do mesmos país. Peça a outros que o ajudem a aprender a língua. Familiarize-se com as coisas. Aprecie as variedades de alimentos que jamais provou. Já comeu mamão? Possivelmente nem sabe o que é. Ou, o que dizer do abacaxi, colhido fresquinho, seu suco escorrendo entre seus dedos, ao provar seu sabor doce e delicioso?

Talvez tenha vindo de um país montanhoso e agora more junto ao mar. Usufrua o que o mar lhe tem a oferecer. Assim como as montanhas apresentam uma visão emocionante, o mar fornece uma vista cênica sempre mutável. Aprenda algo sobre o fundo histórico daquele país e do seu povo, também. Mostre interesse em seu modo de vida. Assim fará muitos amigos apreciativos que alegremente o aceitarão em sua comunidade.

Portanto, conte os custos de antemão, antes de se decidir a fixar residência numa terra estranha. E, se já fez sua decisão, seja otimista e adaptável.

in Despertai de 8/6/1972 pp. 25-27

Provérbio da semana ( 19:29 )

Os julgamentos foram firmemente estabelecidos para os zombadores, e os golpes para as costas dos estúpidos.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Uma estratégia estranha, mas...

Pouco depois de entrar para a prisão, um rapaz teve de arrancar três dentes. Depois, perdeu um dedo a trabalhar na cozinha. Quando foi preciso extraírem-lhe o apêndice, um guarda disse para o colega:


- O melhor é vigiarmos este de perto. Acho que está a tentar fugir aos bocados.

Palavra da semana 2

cambadela (é)


(cambar + -dela)

s. f.

1. Acto!Ato ou efeito de cambar.

2. Náut. Manobra de mudança de bordo.

3. Movimento ou golpe da perna ou pé para derrubar alguém. = cambapé, rasteira

4. Cambalhota.

OBRIGADO RUI COSTA!

AMOR MEU, DOR MINHA

DOR MINHA QUE BATES NO CORAÇÃO,
OLHOS TEUS QUE CRUZAM COM A PAIXÃO;

PARA ONDE FORES CONTIGO IREI,
ONDE ESTIVERES AÍ FICAREI;

NA ROTA DO AMOR BUSCAMOS SINTONIA,
SENDO O MAIS IMPORTANTE A COMPANHIA;

FELIZ AQUELE QUE TE AMA,
E QUE PODE ALIMENTAR A CHAMA;

FICAREI. FELIZ. SINTO O TEU ABRAÇO FORTE,
SINTO QUE O AMOR NÃO ALIMENTA A MORTE;

POR TUDO ISTO UM ADEUS NÃO PERMITO,
NO NOSSO CORAÇÃO O AMOR NÃO É MALDITO.